SAÚDE DO HOMEM NA APS


O Programa Estadual da Saúde do Homem visa nortear as ações de atenção integral à saúde da população masculina entre 29 à 59 anos, baseando-se Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), definida através da Portaria Nº 1.944, de 27 de agosto de 2009. Esta Portaria também visa estimular o autocuidado e o reconhecimento de que a saúde é um direito social básico e de cidadania de todos os homens.

Pelo IBGE o Espírito Santo possui uma população de 3.973.697milhões/habitantes (IBGE/2016), sendo 1.982.619 do sexo masculino e 1.991.078 do feminino.

De acordo com o Ministério da Saúde, a cada 05 pessoas que morrem com idade de 20 a 30 anos, 04 são homens. A cada 03 pessoas que morrem no Brasil, 02 são homens.

Os homens vivem em média 7,6 anos a menos que as mulheres.

As doenças prevalentes na população masculina são:


1- Causas Externas (40,3% foram por homicídios, 30,0 % por acidentes de transporte, 7,4% por suicídios, sendo 22,3% por outras causas);
2- Doenças do Aparelho Circulatório (coronariopatias 40,5%, hipertensão 18,7%, miocardiopatias 1,2%, e outras 39,6%.);
3- Tumores, (cerca de 43,2% de todos os tumores assinalados tem origem no aparelho digestivo, aparelho circulatório, e aparelho urinário);

 

Muitos agravos poderiam ser evitados caso os homens realizassem, com regularidade, as medidas de prevenção primária.  Na saúde brasileira, por barreiras socioculturais, por exemplo, diferentemente da mulher, a população masculina tende a buscar os serviços de saúde já na atenção especializada já com agravamento das doenças.

A resistência masculina à procurar um serviço de saúde na atenção primária aumenta não somente a sobrecarga financeira da sociedade, mas também, e, sobretudo, o sofrimento físico e emocional do paciente e de sua família, na luta pela conservação da saúde e da qualidade de vida.

 

Pai Parceiro/Paternidade

Uma pesquisa da Saúde do Homem, Paternidade e Cuidado, realizada pelo Ministério da Saúde, indica que 71% dos pais ou cuidadores entrevistados participaram das consultas de pré-natal com suas parceiras no Espírito Santo. Desse total, 80% afirmaram que esse envolvimento os motivaram a cuidar melhor da sua saúde. Os dados demonstram que a paternidade é a principal porta de entrada do homem na unidade de saúde para que ele também se cuide.

Nesta pesquisa foram realizadas 37.322 entrevistas com pais ou cuidadores que assumiram a figura paterna e que acompanharam o pré-natal, parto e pós-parto de crianças nascidas no Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo da pesquisa é obter dados sobre o acesso, acolhimento e cuidados com a saúde masculina nos serviços públicos de saúde; e levantar informações sobre o envolvimento do pai no pré-natal e nascimento da criança. A coleta de dados foi feita entre março de 2017 e março de 2018. No Espírito Santo foram feitas 622 entrevistas.

Embora a pesquisa aponte maior conscientização em relação à saúde, devido a participação no pré-natal, ainda é alto o número de homens que não têm na sua rotina o cuidado com a saúde. Quando questionados sobre o costume de buscar os estabelecimentos públicos de saúde, 37% dos entrevistados do Espírito Santo afirmaram não ter o hábito de ir nesses locais. Desse total, 36% informaram que o desinteresse é motivado por não costumar cuidar da saúde nunca. Contudo, muitos agravos poderiam ser evitados, caso os homens realizassem, com regularidade, as medidas de prevenção.

A pesquisa Saúde do Homem, Paternidade e Cuidado integra a estratégia Pré-Natal do Parceiro, presente no eixo Paternidade e Cuidado, da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), do Ministério da Saúde. A Política visa qualificar a saúde da população masculina, na perspectiva de linhas de cuidado, resguardando a integralidade da atenção (primária - promoção da saúde e prevenção do adoecimento; e especializada) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Atendimento do Homem no Sus

O atendimento do homem, assim como da população em geral, inicia na Atenção Básica (atendimento primário), pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS). A partir da consulta, o profissional de saúde pode encaminhar o paciente para os serviços e centros especializados, como Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) ou Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), no caso da saúde bucal.

Novembro Azul

No mês novembro, se retrata ao Novembro Azul, período em que é reforçada a conscientização sobre cuidados de prevenção à saúde integral do homem, onde são intensificadas ações nos serviços de saúde voltados para a população masculina utilizando-se os meios de comunicação, redes sociais, tv e rádio.

Na Atenção Básica a população masculina pode fazer uma série de exames de check-up, buscando a prevenção, como: sangue (hemograma e dosagem dos níveis de colesterol total e frações, triglicerídios, glicemia e insulina); aferição de pressão arterial, teste de glicemia, atualização do cartão de vacina, verificação de peso e cálculo de IMC (índice de massa corporal); e função pulmonar (indicada aos fumantes). Também integra a lista, pesquisa de antígeno de superfície do vírus da hepatite B (HBsAg); teste de detecção de sífilis; e pesquisa de anticorpos anti-HIV e dos vírus da hepatite C.

 

Cartão de Saúde do Caminhoneiro/a

A novidade é que temos o cartão de saúde do caminhoneiro/a. Nota Técnica nº 8/2020-COSAH/CGCIVI/DAPES/SAPS/MS. Este tem como objetivo principal a ampliação do acesso dos homens e mulheres caminhoneiros (as) aos serviços de saúde por meio de equipe multiprofissional das Unidades Básicas de Saúde na Atenção Primária, garantindo atendimento e continuidade de tratamento em qualquer lugar do país, caso assim o deseje, segundo o seu tempo de parada ou férias.

Essa população está literalmente 24 horas por dia na estrada, entretanto, quando chega em municípios que não é de sua origem tem dificuldade de atendimento nas Unidades Básicas de Saúde.

Os cartões serão disponibilizados pelas unidades de SEST/SENAT que estão distribuídas em todo Espírito Santo. As sedes estão localizadas em Colatina, Cariacica, Serra e São Mateus.

Documentos de referência

Como subsídios técnicos para organização da atenção à saúde e Implementação da Linha de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa no Sistema Único de Saúde, seguem alguns documentos de referência:

Caderneta de Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (Portaria Nº 1.944, 27/08/2009)

 


Informações de Contato

Referência Técnica
Lucimar Ventorin Hamsi


Tel.: (27) 3347-5698
E-mail: saudedohomem@saude.es.gov.br